sábado, 25 de dezembro de 2010

Desejo intenso e vivo


Talvez você quisesse um pouco de sorvete hoje. Um pouco de atenção preparada com açúcar e congelada sob forma de neve que fizesse você sentir uma segurança, um alívio de quem possui algo pra apoiar-se. O fato é que em algum momento da vida todo mundo busca ser considerável. Externamente considerável, intrinsecamente considerável. E no meio de tantas considerações é preciso certo cuidado pra não se desconsiderar, colocando-se em segundo plano e planejando o inexistente, o ilusório. Isso não quer dizer que se deve deixar os sonhos guardados em uma ilha sem valimento para que eles em algum momento evaporem junto as águas marítimas, até porque o valor que possuímos enquanto adormecemos está guardado dentro de nossos mais profundos devaneios. Mas é preciso distinguir aquilo que delicadamente se forma no espírito e mostra imagens desconexas, confusas, que num projeto real nunca será possível de acontecer daquilo que se mostra diante de nós todos os dias, daquilo que mesmo desajeitado e ás vezes triste é o fato mais sincero, mais puro e que por mais que cause certo desconforto é, neste exato momento, o que nos prova – amargamente ou não – que estamos vivos.


3 comentários:

Karine Clessia disse...

Amei muito seus textos, são muito lindos.
Estou seguindo :D

Alana. disse...

quando lii seu texto. lembrei-me dessa frase, sei que nao tem nada a haver, mas adoro elaa:
- a vida é que nem sorvete desfrute antes que derreta.

ótimo texto. adorei seu blog. seguindo também. beijos,

Mαrcelα Mirαndα disse...

Seguindo também,flor!

Ameei seu Blog.

Postar um comentário

 
;